martes, 25 de septiembre de 2007

Teu corpo


Abraços e beijos apaixonados.
Dorme em mim a memória
Do teu corpo, mãos, braços..
Do teu sexo.
Já sem sentir o prazer,
Mas fora do meu, teu corpo é a bondade.
O universo que me agasalha, me envolve
Num manto de caricias, como uma chuva farta...

6 comentarios:

Vieira Calado dijo...

Ó meu caro!
Me desculpe, mas isso "já sem sentir o prazer" poderia eu dizer, que já vou para velho!
Um abraço.
Não leve a mal.

Luis Enrique dijo...

Meus sentidos não, meu prazer sim. estou numa descoberta. Meus sentidos querem chegar a ela, meu prazer, pelo contrario, é novo demais.

Luis Enrique dijo...

Embora pareça uma contradição, também, há q entender o sentido completo do pensamento poetico. É a ausencia que o provoca.

lupussignatus dijo...

A mem�ria do corpo s�o brasas incandescentes...

Hanah dijo...

Somos sempre pontes para algo maior dentro de nós e fora de nós mesmos...

Beijo

Luis Enrique dijo...

Obrigada Hanah e Lupussignatus pelos seus amaveis comentarios. Um abraço