domingo, 1 de abril de 2007

Fluxos


Flutuando no meio do oceano, sinto os fluxos e os refluxos das mares cambiantes. Uma sorte de dança ao luar. O cálido oceano, a génese de um remoinho ascendente, que vai avançando em crescendo. Em caminata aos trópicos e as areias das praias quentes. Massa de água num vaivém frénetico corre.
Evaporação em particulas que sobem, sem ser vistas, ao profundo céu aparentemente inerte.

4 comentarios:

cbs dijo...

Luis
lamento o fim dos teus outros seres etéreos.
Fico contente por pelo menos te poder encontrar aqui

abraço

Paulo Sempre dijo...

Palavras que recordam sedes intemporais, devaneios pretéritos e presentes algemados. Palavras que embalam o desejo que apetece ser rio e viagem...para lá da poeira geografica emudecida por lágrimas que, salgadamente e paulatinamente, traçam vincos de um rosto cansado...
Abraço
Paulo

Luis Enrique dijo...

É assim CBS, fechei os outros blogs por problemas técnicos, mas não eram os primeiros que fecho nem serão os últimos.

abraço, obrigada pelo comentario

Luis Enrique dijo...

Paulo, Q belas palavras me deixa, cheias de poesia e sentimento. Fico sem palavras e contente que me visite.

um abraço