viernes, 30 de marzo de 2007

Verde tormenta


Vegetação verde espessa, terra molhada.
Cheiro no ar, cantar da chuva fresca,
Diáfanas vozes da tormenta,
Caladas as aves manhaneiras.
Cigarras a capela, satisfeitas de tanta água,
nuvens que romperam a longitude mais longa.
Flores que deixaram o botão diminuto,
flores abertas como estrelas.


Rain

Etiqueta: Poesia propia com efeito sonoro

2 comentarios:

maat dijo...

lindíssimo!!! Poesia da mais perfeita...Obrigada pela beleza que me alimenta eternamaente.


Bjs, ***maat

Luis Enrique dijo...

Obrigado Maat a vc, pelo seu simpatico comentario.

um abraço.